*******LIVRO DA TURMA DA MARIA ANTONIA, LANÇAMENTO SABADO, DIA TRINTA DE ABRIL, QUINZE HORAS + LEANDRO KARNAL + EDUARDO ESCOREL (abaixo, foto de IMAGENS DO ESTADO NOVO, NO CATALOGO DO FEST É TUDO VERDADE 2016) + PERFIS DA REVISTA PIAUI + DICIONÁRIO DE CINEASTAS BRASILEIROS (LUIZ FELIPE MIRANDA) + COLUNAS DE MARCIO TAVARES D’AMARAL, ANDRÉ SINGER E ARNALDO BLOCH

LIVRO SOBRE A TURMA DA MARIA ANTONIA + EDUARDO ESCOREL, PIUAI, DICIONARIO DE CINEASTAS + MARCIO TAVARES D’AMARAL, ANDRÉ SINGER

*********”UM MUNDO
COBERTO DE JOVENS”,

LIVRO DE DEPOIMENTOS
SOBRE A TURMA DA MARIA
ANTONIA-USP, DIA 30 DE ABRIL,
SABADO, NO CENTRO
UNIVERSITÁRIO MARIA ANTONIA,
NA VILA BUARQUE,
COM APRESENTAÇÃO MUSICAL.
SABADO, QUINZE HORAS.
TRÊS DA TARDE. O nome homenageia
Antonio Candido, que por sua vez
deve homenagear o nome
original de VIDAS SECAS, de Graciliano
Ramos, UM MUNDO
CARREGADO DE PENAS.

* AINDA OS PREMIADOS
DO FEST É TUDO VERDADE 2016

* PERFIS CULTURAIS
DA PIAUI MERECEM LIVRO

* EDUARDO ESCOREL

* HOJE, MATERIA EM O GLOBO, SOBRE O NOVO LIVRO DO HISTORIADOR LEANDRO KARNAL, LANÇAMENTO DE EDITORA GAÚCHA.

*

+ FILME HOLANDÊS E NOSSA
SENHORA DO CONTEXTO

* MICHAEL LONSDALE, CRIS MARKER,

******Voltando à premiação do
FEST É TUDO VERDADE 2016:
Meus dois documentários preferidos para a premiação — o brasileiro IMAGENS DO ESTADO NOVO 1937-1945, de Eduardo Escorel, e CHICAGO BOYS, de dupla chilena, foram derrotados. Ganharam “Futebol” (Brasil) e “Um Assunto de Família” (Holanda). Para mim, o filme de Escorel é muito mais potente (e necessário) que “Futebol”. Sua “anatomia” da imagem é poderosíssima e nos joga no turbilhão da HISTORIA. Um filmaço, o melhor de todos os documentários do grande montador, figura-chave na história do cinema brasileiro: ele está (ou parece estar) em praticamemente todos os momentos FUNDAMENTAIS de nossa cinematografia, seja montando TERRA EM TRANSE, seja CABRA MARCADO PARA MORRER, seja IMAGENS DO INCONSCIENTE (*), etc, etc… Escorel, ao contrário do
irmão — o grande fotógrafo Lauro Escorel, uma das pessoas mais gentis e generosas do mundo — é de trato difícil. Mas o cinema brasileiro deve muito a ele seja como montador, diretor ou pensador do cinema. Ele tem um longa documental que julgo dos mais complicados. Ingênuo, na falta de melhor palavra (me falta o título: trata-se de um longa documental sobre um dissidente do MST: encontrei: O Tempo e o Lugar, 2008). Mas esta série, da qual IMAGENS DO ESTADO NOVO – 1937-1945 constitui a terceira parte, é importantíssima. E este filme,
seu ponto mais luminoso.
*** Já o premiado
internacional, o holandês
UM ASSUNTO DE FAMILIA
comete, para mim, um “pecado” grave: seu diretor não é seguidor de Nossa Senhora do CONTEXTO, a padroeira de VERISSIMO. Ele vai ao encontro da vaidosa e branquíssima avó, holandesa, na AFRICA DO SUL, e em nenhum momento, mas nenhum mesmo, se pergunta como viveu esta mulher (por décadas) no país que encarcerou MANDELA e promoveu a mais brutal das segregações raciais. SEGREGAÇÃO que teve nos holandeses seus principais artífices. Outro filme de temática semelhante, o francês
ANOS CLAROS, também mergulha no seio de uma família, sem contextualização histórica, o que em nada perturba sua construção. Afinal, nesta história de afetos, os protagonistas (o cineasta, a mulher e a filhinha) não passam anos (décadas, no caso holandês) num país convulsionado como a racista AFRICA DO SUL comandada com pulso de ferro pelos AFRIKANERS ou bôeres, holandeses em maioria.

(*) Dia destes, com saudade
da imagem black-índio-brasileira de
NELSON CAVAQUINHO fuirever, com Zanin, o filme que leva o nome do compositor, dirigido por LEON HIRSZMAN, em 1969 (pois ando ouvindo muito o REI VADIO – Rômulo Fróes Canta Nelson Cavaquinho, Selo Sesc). E lá nos créditos: fotografia (um poema em preto e branco, confiram!!!!) de Mário Carneiro, montador: Eduardo Escorel… Ele trabalha, desde a juventude, mais que remador de Ben-Hur (by Nelson Rodrigues).
Não há uma fonte de consulta segura com a filmografia detalhada de Escorel
(Atenção Ancine, Riofilme, SPCine, MinC: o pesquisador
LUIZ FELIPE MIRANDA deve ser convocado a comandar equipe para atualizar seu imprescindível
DICIONARIO DE CINEASTAS BRASILEIROS),
que foi publicado em 1990. Portanto, há 26 anos. Nos falta uma fonte segura com perfis e filmografia de todos os nossos realizadores e, inclusive, as centenas deles que estrearam nesta quase 3 década. Que o resultado da pesquisa, seja colocado pelo menos na internet. E traga o perfil-filmografia completa, inclusive, de Eduardo Escorel como montador e cineasta. Nos últimos anos, além dos 4 filmes que compõem a série sobre a política brasileira nos anos 1930-40, ele dirigiu o citado “O Tempo e o Lugar”, “Paulo Moura”, co-dirgiu filme(s) com José Joffily, etc, etc. E ainda encontra tempo para escrever (duras) críticas a filmes os mais variados, na Piaui digital, além de publicar o livro “Adivinhadores de Água”. Ah, Escorel tem um ensaio sobre a montagem de TERRA EM TRANSE que é de leitura obrigatória.

* MARCIO TAVARES D’AMARAL
* ANDRÉ SINGER, ARNALDO BLOCH

* GOLPE CONSTITUCIONAL

*******MICHAEL LONSDALE E CRIS MARKER –
Vi quase 50 filmes programados pelo FEST É TUDO VERDADE, em São Paulo. DO que eu queria ver e não consegui, dois títulos em especial me deixaram inconsolável: o curta A VISITA (foto) e o longa OLYMPIA 52, de CRIS MARKER. O curta do italiano Pippo Delbono une o grande ator LONSDALE ao ator surdo-mudo BOBÒ, numa visita ao Palácio de Versallhes. Já o primeiro longa do mestre MARKER, finalizado em 1954, segundo a sinopse, acompanha as Olimpíadas de Helsinque, em 52, as primeiras com participação da URSS, sob o signo da Guerra Fria. Fixando-se na humanidade dos atletas, mais do que na grandeza de seus efeitos, o doc prenuncia o estilo poético-irônico do cineasta francês. *****Tomara que tenha chance de
vê-los em outra ocasião.

**** E SEGUEM DICAS DE LEITURA
EM TEMPOS DE TANTA CRISPAÇÃO:

*****Coluna de MARCIO TAVARES D’AMARAL, em O Globo, intitulada DE BOCA NA MORTADELA.

**** Coluna de ARNALDO BLOCH, no mesmo Globo.

*** A coluna de LEONARDO PADURA, NA FSP,
sobre a porto-riquenhedade.

*******E, CLARO, A COLUNA DE
ANDRÉ SINGER, NA FSP.

***ASSISTIRAM, NA REDE CNN,
À REPORTAGEM DE QUASE DEZ MINUTOS
sobre o “golpe constitucional”??????????

********Coluna de L.F. Carvalho Filho, na FSP,
sobre a reportagem da mesma FOLHA, relativa
aos episódios que envolveram o PCC em 2006 (aliás,
tema de dois filmes: Salve Geral e Se Deus Vier
que Venha Armado).

**** HOJE, LI NA FOLHA
que Roberto Katz, autor de magnífico perfil de Barretão, publicado na Piauí, está lançando um livro com “biografias” de BICHOS, a começar pelo Macaco Tião. Como eu gosto mais de gente que de bicho (pois partilho do lema eduardoduzekiano “troque seu cachorro por uma criança pobre”) me veio o desejo de que a Piauí reuna, num livro, seus PERFIS CULTURAIS. A começar pelo do Barretão, já citado, e pelo imprescindível (e recente e corrosivo) perfil do cineasta Roberto Santucci.

*******MICHAEL LONSDALE, CRIS MARKER

*******MARCIO TAVARES D’AMARAL,
ANDRÉ SINGER, ARNALDO BLOCH

*******AINDA OS PREMIADOS
DO FEST É TUDO VERDADE 2016

Anúncios