*********FEST SESC MELHORES DO ANO PROSSEGUE ATÉ DIA 27
DE ABRIL (NA FOTO, CADEIRAS DO AUDITÓRIO DO CINESESC
DECORADAS COM FILMES PREMIADOS PELA CRITICA OU PELO
PÚBLICO) + ” GABO” EM SANTOS + O ABRAÇO DA SERPENTE + BOLETIM
SESC TV: EVALDO MOCARZEL E CLAUDIA MOGADOURO + NO CANAL
BRASIL: CINEJORNAL, SABADO, 21h00.

+ FEST É TUDO VERDADE
2016 PROMOVE TRÊS
SESSÕES DE “GABO”, FILME
COLOMBIANO-BRITÂNICO-HISPANO EM SUA ITINERÂNCIA CAIÇARA (SANTOS, NO CINE POSTO 4)

+ O ABRAÇO DA SERPENTE:
QUASE 15 MIL ESPECTADORES

+ O ESCARAVELHO DO DIABO:
UM FILME JUVENIL MUITO BEM-DIRIGIDO,
COM BOM ROTEIRO E ÓTIMO ELENCO

+ PREMIO PLATINO
SERÁ ENTREGUE EM
PUNTA DEL ESTE, NO
URUGUAI, EM 24 DE JULHO.

+ FAIR PLAY? (FUTEBOL):
PRE-ESTREIA PARA CONVIDADOS,
NO MUSEU DO FUTEBOL,
COM DEBATE, DIA 26, 19h00.

+ PRAÇA DE GUERRA (PB):
DOIS PREMIOS NO FEST
É TUDO VERDADE

+ MOSTRA DE VARAN, FRANÇA,
PROJETO-ESCOLA CRIADO POR JEAN ROUCH: NO CCSP VERGUEIRO, EM SP, A PARTIR DE 21 DE ABRIL.

****NO SESC TV:

No boletim mensal da SescTV deste mês
entrevista de três páginas de Evaldo Mocarzel (sobre
sua formação e processo de produção) e artigo sobre
“cinema e educação” de Cláudia Mogadouro:
‘”Um namoro difícil, mas possível”.

****NO CANAL BRASIL:

Programa “Cinejornal”

Edição de 23.04.16

-De São Paulo, os vencedores do Festival É Tudo Verdade.

– No Rio de Janeiro, a pré-estreia de “Nise – O Coração

da Loucura”, de Roberto Berliner.

– Em Porto Alegre, uma entrevista

especial com o cineasta Jorge Furtado.

Cinejornal 30.04

– A pré-estreia do longa-metragem

“A Frente Fria Que a Chuva Traz”, de Neville D’Almeida.

– O quadro De Olho no Mercado, com

as informações sobre os filmes em cartaz.

– Entrevista especial com

a atriz Selma Egrei (entrevista !!)

– E nota anunciando que …

“começa o Festival CinePE”.

+ VENCEDORES DO
FEST É TUDO VERDADE 2016:
Pensei que os vencedores

seriam o brasileiro “Imagens do Estado Novo – 1937-1945”, de Eduardo Escorel (melhor documentário nacional), e o chileno “Chicago Boys” (melhor longa estrangeiro). Errei nos dois. Venceram o brasileiro FUTEBOL e o holandês “Um Assunto de Família”. O curta paraibano PRAÇA DE GUERRA ganhou o prêmio da Crítica (Abraccine) e o Prêmio Aquisição do Canal Brasil (no valor de R$15 mil + exibição na emissora). O diretor, Ed Junior, tem 23 anos, é estreante e nunca tinha vindo a São Paulo. Estreou em grande estilo, pois em dezembro último ganhara o Trofeu Aruanda de melhor curta paraibano e levantara a galera no imenso Cinépolis João Pessoa.

+ FEST VARILUX DO CINEMA

FRANCÊS, DE 8 A 22 DE JUNHO,
EM VÁRIAS CIDADES BRASILEIRAS.

+ CENTENARIO DO SAMBA

+ “FAIR PLAY?” NO MUSEU DO FUTEBOL

+ VLADIMIR CARVALHO E
AMIR LABAKI ABREM, NO RECIFE, ITINERÂNCIA DO FESTIVAL É TUDO VERDADE, NESTA SEXTA-FEIRA, 22,
COM “CICERO DIAS, O COMPADRE DE PICASSO”.

+ ASSISTAM AO ÓTIMO E
IMPRESCINDÍVEL
“O ABRAÇO DA SERPENTE”

+ 2016 – CENTENARIO DE PAULO EMILIO.

+ “GARRINCHA” POR

BOB WILSON,
PRODUÇÃO SESC.

+ ACESSE O BLOG
“CADERNO DE CINEMA” ANO III
– Editado pelo cineasta (“Samba Riachão”) e
compositor baiano, Jorge Alfredo Guimarães.
www.cadernodecinema.com.br

+ 50 FILMES BRASILEIROS
No Canal MAX – Produção HBO e Paranoid
Na correria, entendi que o Canal MAX-HBO exibiria 50 filmes brasileiros escolhidos por grandes críticos. Mas me equivoquei. O programa. comandado por RUBENS EWALD FILHO, discute, em 10 episódios, temas diversos. O primeiro a que assisti tinha o cinema policial brasileiro como mote. Toda terça-feira, 22h00.

+ NUNO CESAR DE ABREU
Saiu a segunda edição do livro (sobre a Boca do Lixo paulistana) do professor (Unicamp) e cineasta que nos deixou recentemente, Nuno “O Incrível Sr Blois” César de Abreu.

+ JULIO GARCÍA ESPINOSA (CUBA) E O
MANIFESTO DO CINEMA IMPERFEITO

+ DIA DESTES, MOTIVADA
PELO OTIMO CD “REI VADIO – Rômulo
Fróes Canta Nelson Cavaquinho” (Selo Sesc), que vem com brilhante ensaio (publicado originalmente na serrote) de NUNO RAMOS no encarte, pedi a Antônio Leão (dos Dicionários de Longas-Metragens Brasileiros e do de Curtas e Médias) que me arrumasse uma lista de filmes que tivessem a ver com o universo do autor de “O Juízo Final” e “As Flores”. Leão me mandou uma série de títulos. Com Zanin, revi o curta-metragem de Leon Hirszman (Nelson Cavaquinho, 1969), magnificamente fotografado por Mário Carneiro. Está na obra completa (em DVD) de Leon Hirzman (aliás, sem “Garota de Ipanema”!!!!!), lançamento da Videofilmes (ou IMS). Um curta para vermos e revermos pelo menos uma vez por ano.

+CENTENARIO DO SAMBA:
Grande exposição

de fotos de grandes sambistas
no Dia do Trabalho (EM SP)

+ No Canal Brasil,
ótimo programa de Haroldo Costa com
ZÉ CATIMBA (o autor de MARTIN CERERÊ tem 80 anos e parece ter 60. É paraibano como Vladimir Carvalho: lá na PB deve existir alguma fonte da juventude, não???). Quem me arruma um calendário com as principais atividades festivas do
Centenário do SAMBA???

+ CINE BRASILIA
EXIBE, AMANHÃ, FILME DE
GERSON TAVARES, RECÉM-RESTAURADO,
NO DIA DO ANIVERSARIO DA CAPITAL
BRASILEIRA (21 DE ABRIL):
COM LEONARDO VILLAR, LEINA
KRESPI E BETH FARIA. “AMOR E
DESAMOR” FOI RODADO
EM BRASILIA, EM 1966.

***NO CINE BRASILIA:
de 21 a 28 de abril

Na semana do aniversário de
Brasília, o cinema mais
importante da capital apresenta
pérolas restauradas do cinema brasileiro

São filmes raros de Gerson Tavares, cineasta que realizou em 1966 o primeiro longa metragem rodado na cidade; Amor e Desamor e o documentário Brasília, Capital do Século, realizado em 1959 e que traz algumas das mais belas e bem preservadas imagens coloridas do cinema brasileiro dessa época.
Amor e Desamor, exibido como parte das comemorações do aniversário da cidade, é trabalho idealizado pelo professor e pesquisador Rafael de Luna Freire, parte do projeto Resgate da obra cinematográfica de Gerson Tavares e tem o objetivo, não apenas restaurar e recolocar em circulação filmes esquecidos e que corriam o risco de desaparecer, como de reinscrever o nome do cineasta fluminense na história do cinema brasileiro. O filme traz incríveis imagens da nova capital e conta com música original de Rogério Duprat.

Além disso, o Cine Brasília mantém sua programação de filmes de arte
e abriga, até 27 de abril, a Semana da Língua Alemã com uma mostra gratuita de filmes.

Segue abaixo a programação completa de 21 a 27 de abril
Quinta e sexta, dias 21 e 22/04

14h e 18h20 – *ESTREIA*
Uma História de Loucura (Une Histoire de fou, França, 2015, drama.
134 minutos, classificação 16 anos), direção: Robert Guédiguiam.
Sinopse:Na década de 80, Aram, um jovem de origem armênia que vive em Marselha, explode o carro do embaixador turco em Paris. Gilles Tessier, um jovem ciclista que estava passando naquele momento é gravemente ferido pela bomba. Aram, em fuga, junta-se ao Exército Secreto pela Libertação da Armênia em Beirute, o viveiro da revolução internacional naqueles anos. Anouch, a mãe de Aram, visita Gilles no hospital para pedir perdão por seu filho. Gilles quer encontrar Aram pessoalmente, e planeja se vingar. Aram entra em confronto com os seus companheiros, e decide conhecer sua vítima para fazê-lo seu porta-voz.
Trailer:http://imovision.com.br/index.php/filme/une-histoire-de-fou/

16h30 – É o Amor (C’est L’amour, França, 2015, drama, 97 minutos, classificação 14 anos), direção: Paul Vecchiali.
Sinopse: Odile suspeita que Jean, seu marido, seja infiel a ela. Decide, então, lhe dar de seu próprio remédio. Ela conhece por acaso, Daniel, um ator que vai usar para sua vingança. Daniel que vive com o ex-militar Albert, vai fazer amor com ela, o que desencadeará algumas consequências inesperadas: os dois serão para sempre ligados por um amor incontrolável.
Trailer:

21h –*Resgate Histórico*
Amor e Desamor (Brasil, 1966, drama, 68 minutos, classificação 12 anos,
com: Leonardo Villar, Leina Crespi e Betty Faria), direção: Gerson Tavares.
Sinopse:Por acaso, um homem e uma mulher se encontram numa noite, na casa dele, de madeiras e tijolos, entre árvores, fazendo contraste com o concreto, o vidro e o alumínio de Brasília. Um pouco tímido e introvertido, ele sente violenta atração pela mulher, aparentemente dominadora, tranqüila e realizada. O choque entre as duas personalidades é uma luta primitiva e refinada, violenta e covarde, onde a sensualidade é sempre presente.
Trailer:

Segue o curta: Brasília, Capital do Século (Brasil,
1959, documentário, 11 minutos, classificação livre), direção: Gerson Tavares.
Sinopse: Curta-metragem realizado conjuntamente com O grande rio e Arte no Brasil de hoje entre 1959 e 1960. Documentário com imagens preciosas de Brasília antes de sua inauguração, com muitos prédios ainda em construção, revelando ainda a vida dos candangos que ergueram a nova capital. Tendo sido filmado com negativo ferraniacolor e revelado em laboratório italiano, esta cópia traz algumas das mais belas e bem preservadas imagens coloridas do cinema brasileiro dessa época.
Trailer:

Sábado, 23.04

14h – Uma História de Loucura (Une Histoire de fou, França,
2015, drama. 134 minutos, classificação 16 anos), direção: Robert Guédiguiam.

17h – Semana da Língua Alemã – Mostra de Filmes –
Heidi (Suiça, 2015, drama, 105 minutos, classificação 6 anos), direção: Alain Gsponer.
Sinopse: Após a trágica morte dos pais, a pequena Heidi, de 5 anos, vai viver nos Alpes com o avô, homem solitário e de poucas palavras. Apesar de, a princípio, se sentirem distantes , logo nasce entre eles um entendimento profundo. Nas montanhas, ela conhece Pedro, pequeno pastor que se torna seu amigo. Juntas, as duas crianças vão percorrer montes e vales, partilhando segredos e aventuras inesquecíveis. Até que um dia Heidi vai para a cidade fazer companhia a Clara, menina paraplégica confinada a uma cadeira de rodas. Apesar do desgosto de ser obrigada a abandonar o avô e o seu melhor amigo, Heidi afeiçoa-se à sua nova amiga. Porém, com o passar do tempo, as saudades tornam-se cada vez mais difíceis de suportar. ENTRADA FRANCA
Trailer: www.heidi-film.ch
20h30 – Semana da Língua Alemã – Mostra de Filmes –
Goethe! ( Alemanha, 2010, drama, 104 minutos, classificação 6 anos), direção: Philip Stölzl
Sinopse: 1772: O estudante de direito, Johann Wolfgang Goethe, de 23 anos é reprovado no rigoroso exame oral para a obtenção do grau de doutor. Furioso, seu pai o envia à Suprema Corte de Justiça em Wetzlar. Goethe, que sonha com uma carreira de escritor e que teve de se resignar com a recusa de seu drama Götz von Berlichingen , apaixona-se por Charlotte Buff. Mas ela já fora prometida pelo pai a um outro. Goethe reage ao seu infortúnio escrevendo Os sofrimentos do jovem Werther, romance que da noite para o dia o transforma no novo astro da literatura alemã.ENTRADA FRANCA
Trailer: http://wwws.warnerbros.de/goethe/

Domingo, 24.04

14h30 – É o Amor ( C’est L’amour, França, 2015, drama, 97 minutos, classificação 14 anos), direção: Paul Vecchiali.

16h30 – Uma História de Loucura (Une Histoire de fou, França, 2015, drama. 134 minutos, classificação 16 anos), direção: Robert Guédiguiam.

19h Semana da Língua Alemã – Mostra de Filmes –
Os Edukadores (Die Fetten Jahre sind vorbei, Austria, 2004,
drama, 126 minutos, classificação 12 anos ), direção: Hans Weingartner.
Sinopse: A história gira ao redor de três ativistas anti-capitalistas que vivem no centro da cidade de Berlim — Jule, seu namorado Peter e Jan o melhor amigo de Peter, juntamente com um abastado homem de negócios chamado Hardenberg. ENTRADA FRANCA
Trailer:
http://www.imdb.com/title/tt0408777/

21h15 – Amor e Desamor (Brasil, 1966, drama, 68 minutos, classificação 12 anos,
com: Leonardo Villar, Leina Crespi e Betty Faria), direção: Gerson Tavares.
Segue o curta: Brasília, Capital do Século (Brasil, 1959, documentário, 11
minutos, classificação livre), direção: Gerson Tavares.

Segunda, 25.04

14h10 e 18h30 – Uma História de Loucura (Une Histoire de fou, França, 2015,
drama. 134 minutos, classificação 16 anos), direção: Robert Guédiguiam.

16h30 – É o Amor ( C’est L’amour, França, 2015, drama, 97 minutos, classificação 14 anos), direção: Paul Vecchiali.

21h – Semana da Língua Alemã – Mostra de Filmes –
Mais que Mel (More than Honey, Suiça, 2012, documentário, 91 minutos, classificação livre), direção: Markus Imhoof.
Sinopse: “Se as abelhas desaparecessem, o homem não teria mais do que quatro anos para viver” (Einstein). Com abelhas morrendo por todo o mundo, dentre as possíveis razões, ao menos uma coisa é certa: o problema vai muito além de um punhado de insetos mortos ou de um pouco de mel. Em busca de respostas, o filme nos leva a conhecer pessoas que vivem entre abelhas: na casa de um apicultor em uma montanha suíça, em enormes plantações de amêndoas da Califórnia, em Berlim e no deserto do Arizona. Todos falando sobre a extinção das abelhas. ENTRADA FRANCA
Trailer: www.morethanhoney.ch

Terça, 26.04

14h10 e 18h30 – Uma História de Loucura (Une Histoire de fou, França, 2015, drama. 134 minutos, classificação 16 anos), direção: Robert Guédiguiam.

16h30 – É o Amor ( C’est L’amour, França, 2015, drama, 97 minutos, classificação 14 anos), direção: Paul Vecchiali.

21h – Semana da Língua Alemã – Mostra de Filmes –
A medida do mundo (Die Vermessung der Welt, Alemanha, 2012,
drama, 119 minutos, classificação 12 anos), direção: Detlev Buck.
Sinopse: Baseado no livro homônimo de Daniel Kehlmann, o filme é ambientado no início do século XIX quando dois homens exploram o mundo. Um se concentra no visível; o outro, no imaginável. Alexander von Humboldt, oriundo de família nobre, viaja à América do Sul para mensurar o continente e descobrir formas de vida desconhecidas. Carl Friedrich Gauss, de condição humilde, concentra-se na pesquisa em sua escrivaninha, em casa, e torna-se um renomado matemático. No final, os dois alemães, que se tornaram famosos, se encontram; eles envelheceram e não estão necessariamente felizes. ENTRADA FRANCA
Trailer:
http://wwws.warnerbros.de/dievermessungderwelt/

Quarta, 27.04

14h10 e 18h30 – Uma História de Loucura (Une Histoire de fou, França, 2015, drama. 134 minutos, classificação16 anos), direção: Robert Guédiguiam.

16h30 – É o Amor ( C’est L’amour, França, 2015, drama, 97 minutos, classificação 14 anos), direção: Paul Vecchiali.

21h – Semana da Língua Alemã – Mostra de Filmes –
Alfabeto (Alphabet, Austria, 2013, documentário, 113 minutos, classificação —-), direção: Erwin Wagenhofer.
Sinopse: Como queremos preparar nossas crianças para a vida? Queremos prepará-las para enfrentar uma sociedade do medo, voltada para a obtenção de resultados? Ou queremos que elas tenham uma vida de liberdade, solidariedade e felicidade? Nosso sistema socioeconômico é cada vez mais questionado, em virtude de crises, e não há respostas à vista. Os detentores do poder político e econômico estudaram, em sua maioria, nas melhores escolas e universidades. Percebe-se nitidamente sua perplexidade e, em lugar de uma perspectiva de longo prazo, entra em vigor o intervencionismo imediatista.ENTRADA FRANCA
Trailer: http://www.alphabet-film.com/

S E R V I Ç O
Ingressos: R$ 12,00 (inteira) R$ 6,00 (meia entrada)
Semana da Língua Alemã – Mostra de Filmes entrada franca
Programador responsável: Sergio Moriconi smoriconi@terra.com.br
Programação Completa em: www.cultura.df.gov.br e facebook.com/cinebrasilia1960

***** “FAIR PLAY?”

LONGA-METRAGEM
DOCUMENTAL
SOBRE FUTEBOL
SERÁ DEBATIDO
POR JUCA KFOURI,
FERNANDO GODOY E
PELO DIRETOR
SERGIO GAGLIARDI.

SESSÃO DE
PRÉ-ESTREIA
PARA CONVIDADOS
DIA 26 DE ABRIL,
NO MUSEU DO FUTEBOL (SP).
PRODUÇÃO DA DGT FILMES

Longa Metragem produzido pela DGT Filmes em associação com a ONG Spirit of Football,
em idioma majoritário inglês com legenda em português, gravado na Inglaterra,
Escócia, Bélgica, Alemanha, Suíça, Itália, Espanha, Portugal, EUA, México,
Guatemala, Honduras, El Salvador, Nicarágua, Costa Rica, Panamá, Colômbia,
Equador, Peru, Bolívia, Chile, Argentina, Uruguai e Brasil. Trilha sonora original
gravada pela banda inglesa New Model Army e trilha sonora adicional da banda Bixiga 70

***********
ALMANAKITO
TERÇA-FEIRA
19-04-16

****** MARCUS FAUSTINI, DIRETOR DE “CARNAVAL, BEXIGA, FUNK E SOMBRINHA”

*****QUE CIRCO BIZARRO VIROU O
CONGRESSO NACIONAL
NO DOMINGO, HEIM??????

+ Ver também a charge de LAERTE

: ****** MARCUS FAUSTINI,
DIRETOR DE “CARNAVAL,
BEXIGA, FUNK E SOMBRINHA”

*****QUE CIRCO VIROU O CONGRESSO
NACIONAL NO DOMINGO, HEIM??????

+ VIRAM a charge de

LAERTE?? (FSP, 19-04-16)

*** LERAM A

COLUNA DE MARIO

SERGIO CONTI, HOJE, NA FOLHA,

EVOCANDO O PAULO MARTINS,

DE TERRA EM TRANSE?????

*****NO DIA DO INDIO,
O ABRAÇO DA SERPENTE

**** CHARGE EM ANEXO:

DE A TRIBUNA, SANTOS, 19-04-16)

++++++ VER TAMBÉM A CHARGE

DE LAERTE, HOJE, NA FOLHA ……

****E APROVEITEM
ESTE DEZENOVE
DE ABRIL, DIA DO INDIO, PARA
ASSISTIREM AO BELÍSSIMO
FILME COLOMBIANO
” O ABRAÇO DA SERPENTE”,
DE CIRO GUERRA. ESTE LONGA,
QUE CONCORREU AO OSCAR DE MELHOR FILME
ESTRANGEIRO, JÁ VENDEU 15 MIL
INGRESSOS NO BRASIL, APESAR
DO PEQUENO CIRCUITO QUE GANHOU.

*** LERAM ONTEM
A ÓTIMA COLUNA DE GUILHERME
WISNIK, NA FOLHA (18-04-16).

*******HOJE, 19-04-16, LEIAM,
SEM FALTA, EM O GLOBO,
A COLUNA DE
MARCUS FAUSTINI,
CINEASTA (autor de importante documentário sobre os “bate-bola”, os CLOVIS, das periferias cariocas: CARNAVAL, BEXIGA, FUNK E SOMBRINHA, DE 2006), escritor (GUIA AFETIVO DA PERIFERIA), agitador cultural ( AGENTE DE REDES PARA JUVENTUDE) e diretor de teatro.

+ ERYK ROCHA LEVA
“CINEMA NOVO” A CANNES

+ MUNDO CÃO: PRÊMIO NO
18e festival du cinéma brésilien – à l’année prochaine !

*****Documentário “Cinema

Novo”, de Eryk Rocha,

é selecionado para a mostra

Cannes Classics, dentro

da Seleção Oficial do festival de 2016

Da Assessoria de Imprena – Primeiro Plano

Cinema Novo, novo longa-metragem de Eryk Rocha (Rocha que Voa, Campo de Jogo e Transeunte), foi selecionado para a Mostra Oficial Cannes Classics, do Festival de Cannes 2016, seção voltada para filmes clássicos e do patrimônio do cinema mundial em cópias restauradas, além de filmes que homenageiam o cinema.

O diretor Eryk Rocha comemora a seleção: “Em 2004, apresentei em Cannes o curta Quimera, que participou da Competição Oficial. É uma grande alegria voltar a Cannes 12 anos depois para apresentar o documentário Cinema Novo. Acredito que esse é um momento pertinente para o nascimento desse filme, que traz a força, a poesia e a política desse movimento que fecundou e inventou uma nova forma de fazer cinema no Brasil. Uma geração que imaginou o cinema inserido num projeto maior de país. O desejo do filme foi mergulhar na aventura da criação dos seus autores e suas poéticas. Lançar o Cinema Novo no presente, em pleno movimento, e perceber como esses filmes seguem ecoando e dialogando visceralmente com o Brasil contemporâneo. Uma das matrizes que o filme quer revelar é a interrupção que o movimento sofreu a partir do golpe civil-militar de 1964, e o trágico desdobramento do Ato 5, em 1968. Nesse momento, estamos vivenciando um eminente risco de golpe institucional e novamente, uma interrupção. Apesar de serem contextos históricos distintos, há graves semelhanças entre esses dois processos”.

Cinema Novo concorre ainda ao prêmio L´Oeil D´or (Olho de Ouro) que é entregue ao Melhor documentário do Festival de Cannes, escolhido a partir de todos os documentários selecionados em todas as mostras, oficiais e paralelas. O júri desse ano é presidido pelo italiano Gianfranco Rosi, diretor de Fuocoammare, grande vencedor do Festival de Berlim 2016, e composto pelo jornalista brasileiro Amir Labaki, diretor do Festival É Tudo verdade; pela cineasta francesa Annie Aghion; pela a atriz belga Natascha Regnier e pelo o produtor francês Thierry Garrel.

Sobre o documentárioCinema Novo, Eryk complementa: “O embrião do projeto nasceu de uma conversa que tive com o Canal Brasil. O produtor do filme é o Diogo Dahl, que tem uma ligação afetiva com o tema e tem sido um grande parceiro nessa caminhada. Cinema Novo é um filme-ensaio composto de múltiplos fragmentos de filmes e arquivos, e é fruto de um longo e denso processo de nove meses de montagem que contou o com magnifico trabalho do montador Renato Vallone. Nesse sentido foi essencial a participação das diversas famílias dos autores que nos ajudaram a construir esse filme. Nesse momento, estamos na reta final do som que está sendo realizado pelo Edson Secco, outro talentoso criador, com o qual realizei meus filmes anteriores Transeunte e Jards. Esse é um projeto fruto de parcerias de longa data e estou feliz que ele seja apresentando em Cannes por todos esses parceiros também” .

Sinopse:

Cinema Novo é um filme-ensaio que investiga poeticamente o principal movimento cinematográfico latino-americano, através do pensamento dos seus principais autores: Nelson Pereira do Santos, Glauber Rocha, Leon Hirszman, Joaquim Pedro de Andrade, Ruy Guerra, Cacá Diegues, Walter Lima Jr, Paulo César Saraceni, entre outros.

Ficha Técnica

Dirigido por Eryk Rocha

Produzido por Diogo Dahl

Montagem: Renato Vallone

Desenho Sonoro: Edson Secco

Coordenação de Produção: Joelma Oliveira Gonzaga e Flávia Vianna

Pesquisa: Thiago Brito/Adriana Peixoto/Juan Posada/Eryk Rocha/Renato Vallone

Uma Produção Coqueirão Pictures e Aruac Filmes

Em Coprodução com Canal Brasil e FM Produções

Distribuição: Vitrine Filmes

Biografia do diretor

Eryk Rocha realizou em 2002 Rocha que Voa, seu primeiro longa metragem, que foi exibido nos festivais de Veneza, Locarno, e premiado em vários festivais, como o de melhor filme no Festival Internacional É Tudo Verdade. Realizou o curta Quimera, que integrou a competição do festival de Cannes 2004, recebeu o prêmio de melhor curta no Festival de Montevideo.

Em 2009, seu filme Pachamama foi exibido e premiado em diversos festivais. Em 2011, lançou seu primeiro filme de ficção, Transeunte, selecionado para mais de 25 festivais, incluído o prestigioso festival de Telluride nos EUA. Recebeu mais de vinte e cinco prêmios nacionais e internacionais, incluindo o prêmio de melhor opera prima no festival de Guadalajara, e melhor filme brasileiro de 2011 pela critica.

Em 2013, Eryk lançou Jards que recebeu o prêmio de Melhor Diretor no Festival do Rio – 2012.

Em 2015, lançou seu sexto longa metragem, Campo de Jogo. O filme foi exibido nos festivais: BFI London, CPH:DOX Copenhague, MoMA. Atualmente, finaliza seu sétimo longa metragem Cinema Novo que será lançado no final de 2016, pela distribuidora Vitrine Filmes. Além de preparar seu oitavo longa e segunda incursão na ficção Breves Miragens do Sol, que será filmado no segundo semestre de 2016.

Filmografia

Rocha que Voa/ Stones in the sky (Brasil/Cuba, 2002)

Quimera / (Brasil, 2004)

Medula / (Brasil, 2005)

Intervalo Clandestino/Clandestine Break (Brasil, 2006)

Pachamama (Brasil, 2009)

Transeunte/Passerby (Brasil, 2011)

Jards (Brasil, 2013)

Campo de Jogo /Sunday Ball ( Brasil, 2015)

Sobre a distribuidora:

Em seis anos a Vitrine Filmes distribuiu mais de 70 filmes, dentre seus maiores sucessos o longa: Hoje eu quero voltar sozinho, que alcançou mais de 200 mil espectadores, O Som ao Redor, de Kleber Mendonça Filho, considerado pelo New York Times um dos melhores filmes de 2012, Frances Ha, indicado ao Globo de Ouro em 2014, e Califórnia, filme de estreia de Marina Person, selecionado para o Festival de Tribeca.

Para o segundo semestre deste ano, a Vitrine Filmes conta com os lançamentos Mãe só há uma, de Anna Muylaert, diretora do premiado Que Horas ela Volta?, Aquarius, segundo longa de Kleber Mendonça Filho, selecionado para competição oficial de Cannes de 2016 e Cinema Novo, de Eryk Rocha, também selecionado para o festival.

********FESTIVAL DO
CINEMA BRASILEIRO EM PARIS
Prêmio para MUNDO CÃO,
de Marcos Jorge

18e festival du cinéma
brésilien – à l’année prochaine !

Anúncios