+ FESTIVAL É TUDO VERDADE 2016 E OUTROS FLASHES****** NA FOTO ABAIXO,
BETH CARVALHO, ROBERTO SCHWARZ, MARIA RITA KHEL E NUNO RAMOS.

+ FEST É TUDO VERDADE 2016: RICARDO PIGLIA + O COMPADRE DE PICASSO + GABOCine + PRAÇA DE GUERRA + NO YOUTUBE: BETH CARVALHO CANTA O SAMBA “NÃO VAI TER GOLPE” + OS INTELECTUAIS E O IMPEACHMENT (FOLHA SP) + DIOGO NOGUEIRA COM GERÔNIMO E LUIZ CALDAS (TV BRASIL) + CINEMA FEMININO (A FALA MASCULINA) + LEIAM, HOJE, NO ESTADÃO, A COLUNA BOLEIRA DE UGO GIORGETTI + “GALERIA F”, HOJE, NO CINEARTE + ENTREVISTA INEDITA DE AVELLAR NO CURTA!

Rô Caetano
Maria do Rosário Caetano
Blog: www.almanakito.wordpress.com

*******OS INTELECTUAIS E O
PROCESSO DE IMPEACHMENT

*****HOJE (10-04-16), NA
FOLHA DE S. PAULO,
AMPLO E MULTIFACETADO
MATERIAL SOBRE INTELECTUAIS
CONTRA OU A FAVOR
DO IMPEACHMENT

Hoje, domingo (10-04-2016), nas páginas da Ilustríssima, a Folha de S. Paulo revive pelo menos um dos seus pilares de sustentação nos anos 1980, época em que mantinha intenso diálogo com os intelectuais brasileiros, abrindo para eles seu espaço editorial. Aquela Folha que cobria a reunião anual da SPBC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) com muita atenção. Pela minha
contagem, dos 31 intelectuais ouvidos pela Ilustríssima, 20 se manifestaramcontra o impeachment, 9 a favor e dois “assim-assim”…. Como intelectuais têm que agir com mais raciocínio que com o fígado, creio que a enquete traz um rico panorama do pensamento gerado em nossas universidades e institutos de pesquisa. E o depoimento de ROBERTO SCHWARZ
é, de longe, o mais qualificado,
inquieto, provocador, agudo,
inesperado. Gostaria,
com saudável inveja, de ser a
autora daquelas sintéticas (e poderosas) linhas.

+ FEST É TUDO VERDADE 2016: RICARDO PIGLIA + O COMPADRE DE PICASSO + GABO, O MAGICO DA REALIDADE + PRAÇA DE GUERRA NO FESTIVAL PAULISTA + RUY GUERRA, O HOMEM QUE MATOU JOHN WAYNE + HOJE: “GALERIA F”, EMILIA SILVEIRA, NO CINEARTE SP

+ HOJE, 17h30 (CONFERIR),
CANAL CURTA!
EXIBE ENTREVISTA
ESPECIAL (E INEDITA) DE JOSÉ
CARLOS AVELLAR, SEGUIDA
DE CURTA-METRAGEM DE
WALTER LIMA JR SOBRE THOMAZ FARKAS.

*NA TV BRASIL, 20h00:
Reprise de SAMBA NA GAMBOA, no qual
Diogo Nogueira conversa (e canta) com
Gerônimo e Luiz Caldas.

*** BETH CARVALHO
CANTA SAMBA
“Não Vai ter Golpe”

https://www.youtube.com/watch?v=ybupAcialpU

** HOJE, EM O GLOBO,
NOTA SOBRE PESQUISA QUE
DEMONSTRA A HEGEMONIA TOTAL,
ACACHAPANTE, DO DISCURSO MASCULINO
NOS FILMES (ver transcrição da nota no Almanakito)

*************FESTIVAL
É TUDO VERDADE 2016:

Fiz, ontem, no Cinearte SP (Av. Paulista) uma maratona
exaustiva (mas muito feliz) no festival de documentários organizado
por Amir Labaki. Sem dúvida, o festival brasileiro de curadoria mais
rigorosa entre os quase 200 (ou este número sofreu DRASTICA REDUÇÃO??
Vou me informar) que sobrevivem no país.
Vi, de 13h00 às 23h00, seis programas:

1. Revi, pela terceira vez, “GABO”, de Justin Webster, sobre a trajetória de Gabriel García Márquez e gostei mais ainda. Um filme sólido, que soma ótimos depoimentos, rico material de arquivo e busca no Caribe colombiano (em especial no Rio Magdalena) os sedimentos que fertilizaram a rica imaginação do escritor. O nome original do filme diz tudo: “Gabo, o Mágico da Realidade”.
2. Seguiram-se cinco curtas documentais brasileiros, no primeiro programa da competição neste formato. Todos interessantes. E o mais interessante de todos foi o de Carlos Adriano, com o seu terceiro “Sem Título # 3” (E Para Que Poetas em Tempo de Pobreza?). Artista experimental, formalista em excesso para alguns, desta vez ele surpreendeu a todos: inseriu carga social em seu ensaio poético, partindo das poderosas imagens de “Terra Sem Pão” (Las Hurdes), de Luiz Buñuel, somando-as a magníficas intervenções de artistas como Pasolini, para compor o que o próprio Adriano denominou, com enorme propriedade, de “Apontamentos para uma AutoCineBiografia (em Regresso)”.
3. Em seguida, um filme russso, CATASTROFE, sobre acidente numa gigantesca usina hidrelétrica que matou dezenas de pessoas. Competição internacional.
4. Mais um filme da homenagem a Grandes Cineastas
(que já nos ofereceu o belo “Fávio, A Estética da Ternura” e o imprescindível “Haskell Wexler – Cidadão Rebelde”: “CLAUDE LANZMAN – Espectros da Soah”. Em 40 minutos, esta produção canadense realiza um making ofpóstumo da produção do monumental “Shoah”, de quase 10 horas de duração. Em animado debate em pequeno grupo, depois do encontro com o novo filme documental, nos dividimos. Uns gostaram muito e até acharam que o canadense merecia o Oscar de melhor doc curta (que disputou semanas atrás). Outros fizeram restrições ao mix de vaidade e exibicionismo de Lanzman…
5. Aí veio o momento mais luminoso da competição internacional: o argentino “327 CADERNOS”, de Andrés di Tella. Um longo e fascinante depoimento de Ricardo Piglia se soma a imagens que nos ajudam a compor um magnífico painel da Argentina, de 1955 até nossos dias. Criação literária e História se somam com tamanho engenho, que não quremos que o filme acabe. As imagens (que eu nunca havia visto) do irmão de Che Guevara num campo de aviação argentino, pronto para embarcar para a Bolívia (para ver se reconhecia o cadáver do irmão), e depois dizendo que o corpo do morto era diferente do de Ernesto Guevara de la Serna, são de arrepiar. A enquete de rua sobre a queda de Perón, a volta de Perón, os cães lançados em paraquedas para cumprir missões (nas Malvinas? Na Patagônia??)… Que maravilha. Filmaço.
6. Fechando a noite, “Cícero Dias, o Compadre de Picasso”, de Vladimir Carvalho, sequenciou a virada do paraibano-candango rumo a um cinema que segue fundamentado no depoimento e na informação (paixões dele) mas torna-se cada vez mais afetivo. Esta “pegada”

Anúncios